“As escolas eram as últimas a fechar, aqui foram as primeiras”:

No Algarve, 56 turmas já estavam em isolamento profilático devido à pandemia e a delegada de saúde do Algarve mandou encerrar 1.º e 2.º ciclos de cinco concelhos. Professores e pais não compreendem a decisão na última da hora.

O número de casos de covid-19 tem vindo a aumentar no Algarve e a delegada regional de saúde resolveu mandar fechar mais de 120 escolas dos 1. º e 2 º. ciclos, públicas e privadas, em Albufeira, Loulé, Olhão, São Brás de Alportel e Faro até ao final do ano letivo. São concelhos com mais de 340 casos por 100 mil habitantes e Lagos só mantém as aulas presenciais porque faz parte de outra zona (barlavento). A medida apanhou de surpresa professores, pais e alunos, sobretudo pela ordem tardia a que foi comunicada: domingo já depois das 18h00.

A Federação Regional das Associações de Pais do Algarve (FRAPAL) não compreende “a disparidade de tratamento entre, por exemplo, a situação do Algarve e a de Lisboa e Vale do Tejo”.

Num comunicado assinado pelo presidente da FRAPAL, Nuno Sousa, consideram que “muitos números terão ficado por divulgar atempadamente e essa falta de transparência, dentro de alguns agrupamentos escolares, dificulta a verdadeira perceção da realidade de concelho para concelho e mesmo de freguesia para freguesia”.

Como consequência, “aparentemente, o processo de controlo turma a turma já não é suficiente para se evitar uma escalada de infeções em cinco concelhos” da região (Algarve Central) e o encerramento das escolas “afeta dramaticamente muitas famílias”.

Protestam, sobretudo, contra o facto de anunciarem o fecho com muito pouco tempo de antecedência para programarem “as próximas duas semanas”.

Questionam a razão pela qual não fecharam os jardins-de-infância e o que vai acontecer a quem tem filhos com necessidades educativas especiais.

Dúvidas, ainda, sobre os apoios presenciais aos alunos que irão fazer exames nacionais do secundário, que terão “a vida muito afetada em caso de contacto com um infetado de covid-19”. 29/06/2021