DECO propõe apoios para assistência a pais e outros familiares

A DECO considera que “além de não proteger convenientemente o trabalhador que falta, a legislação atual também coloca em risco os familiares, que podem ficar sem acesso aos cuidados de saúde por não haver quem esteja em posição de os acompanhar”.

DECO propõe apoios para assistência a pais e outros familiares

ECONOMIA APOIOS

A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (DECO) propõe que seja pago um apoio aos trabalhadores que têm de faltar ao trabalho para dar assistência aos pais ou a outros familiares diretos.

“Faltar ao trabalho para acompanhar pais ou familiares diretos a consultas e tratamentos ou para prestar cuidados integrados no conceito de ‘assistência à família’ implica perda de retribuição“, justifica a DECO.

Perante a situação, a associação considera que “além de não proteger convenientemente o trabalhador que falta, a legislação atual também coloca em risco os familiares, que podem ficar sem acesso aos cuidados de saúde por não haver quem esteja em posição de os acompanhar, dado não poder prescindir do salário”.

“Propomos para os ascendentes, além de outros familiares diretos, a aplicação do mesmo regime de apoios previsto para a assistência a descendentes, ou seja, a compensação das faltas justificadas através de uma prestação social“, refere Bruno Campos Santos, Relações Institucionais da DECO Proteste.