GESTÃO ESCOLAR: Entenda os maiores desafios do Coordenador-Por Luísa França-2maio2018

As funções do coordenador são várias, mas nem sempre estão bem demarcadas. O coordenador afirma-se progressivamente como formador, orientando o trabalho coletivo no ambiente escolar e atua como conexão entre os indivíduos, o projeto da escola e os conteúdos educativos. Para oferecer uma dimensão mais precisa da importância desse profissional, este artigo apresenta os principais desafios do coordenador, bem como dicas para otimizar a rotina em meio aos afazeres quotidiano.

Boa leitura! O papel do coordenador:

O coordenador tem extrema importância no ambiente escolar, tendo em vista que ele promove a integração dos indivíduos que fazem parte do processo ensino-aprendizagem, estabelecendo, de forma saudável, as relações interpessoais entre os envolvidos.

É um profissional que atua entre o/a Diretor e os educadores, mas também se relaciona com os alunos e os familiares. Ele tem papel estratégico na mediação entre as diferentes instâncias educacionais, exercendo funções de articulação, formação e transformação. Por meio delas, o seu objetivo principal é oferecer o suporte requerido para que o estudante aprenda da melhor maneira possível.

As funções de articulação desempenhadas pelo coordenador abrangem professores, familiares de alunos, os próprios estudantes, a legislação educacional e o Projeto Pedagógico da escola. É ele quem tem a formação necessária e a responsabilidade de fazer a articulação demandada entre os atores e domínios envolvidos no processo de ensino e aprendizagem.

O coordenador é também quem faz a ponte entre a Família e a Escola, discutindo aspectos relativos ao rendimento escolar dos alunos e propondo soluções para potenciais dificuldades de aprendizagem ou conflitos disciplinares, por exemplo.

Outra função importante que esse profissional desempenha é o suporte ao docente de estudantes em situações específicas para aprender. Além de auxiliar na elaboração e no desenvolvimento da estrutura e do funcionamento do currículo com base em suportes legais, ele deve atuar junto aos professores, bem como atender a alunos e a seus familiares pautando-se nos preceitos da legislação educacional.

Além disso, contribuir para a articulação adequada de práticas relativas ao cumprimento do Projeto Pedagógico da escola em uma atribuição essencial do coordenador. Ele precisa propor medidas e atividades que ajudem a garantir que os objetivos estipulados no projeto possam ser desenvolvidos de maneira a beneficiar toda a comunidade escolar.

A função formativa exercida pelo coordenador está diretamente relacionada à formação continuada dos professores para a atuação em suas atividades de docência. Cabe a esse profissional auxiliar os docentes para que eles aprimorem seus conhecimentos e suas práticas pedagógicas, por meio do oferta de oficinas e cursos online, por exemplo, que abordem temas de relevância como didática, prática de ensino e métodos avaliativos. Todo educador tem o papel transformador, o que não é diferente no caso do coordenador.

Ao ter uma função mediadora por excelência, ele deve propiciar o questionamento dos professores sobre suas práticas e compromissos com o fazer educacional, fomentando a reflexão contínua e o estabelecimento de uma postura crítica diante do trabalho docente.

Em suma, algumas atribuições do coordenador pedagógico são:

• Avaliar e acompanhar o processo ensino-aprendizagem, além dos resultados de desempenho dos alunos;

• Valorizar e garantir a participação ativa dos professores, garantindo um trabalho que seja integrador e produtivo;

• Organizar e escolher os materiais necessários ao processo de ensino-aprendizagem;

• Promover práticas inovadoras de ensino e incentivar a utilização de tecnologias educacionais;

• Fazer com que toda a comunicação entre estes dois públicos flua de maneira funcional;

• Averiguar se a conduta pedagógica dos docentes tem beneficiado o processo de aprendizado dos discentes;

• Informar aos pais e responsáveis a situação escolar e de relacionamento dos alunos;

• Promover a formação continuada dos docentes.

Os maiores desafios da coordenação:

Mesmo com tantas funções importantes, percebe-se que os coordenadores se veem em desvio de função, realizando tarefas que pouco agregam em suas responsabilidades. Muitas vezes, a falta de profissionais para desenvolver todas as atividades necessárias na Escola leva a esse tipo de situação, mas esse não é o único impasse da carreira do coordenador.

Veja a seguir os maiores desafios de um coordenador e o que é possível fazer para superá-los no cotidiano escolar. Gerir as dificuldades do dia a dia: O coordenador é um profissional que muitas vezes atua “apagando incêndios”. Ele resolve problemas pontuais com bastante frequência, o que o impossibilita de desenvolver e aplicar ações de longo prazo que ajudariam bastante a solucionar a raiz dos infortúnios vivenciados na escola.

Tais profissionais precisam de agir preventivamente, e não reativamente, para que os níveis educacionais sejam cada vez melhores. Outro desafio do coordenador está na formação de equipes que o apoiem em sala de aula na resolução de situações emergenciais.

É preciso desenvolver nos professores competências de gestão de conflitos para que pequenos problemas sejam resolvidos rapidamente, de forma que eles não prejudiquem o ambiente do aluno. Ter autonomia para realizar suas funções: Os diretores precisam ver os coordenadores como um importante ponto de apoio na gestão da instituição de ensino. Juntos, eles têm o papel de desenvolver o projeto pedagógico escolar e de apoiar os professores na aplicação dos parâmetros acordados para sala de aula. Ainda assim, mesmo que este trabalho seja feito em conjunto, quem se faz presente durante toda a averiguação, quem ajusta o processo e oferece feedbacks a todos é o coordenador. Por isso, esse profissional precisa ter autonomia para transitar entre os docentes e o/a diretor/a, a fim de solucionar questões com agilidade, ser capaz de transmitir mensagens claras e objetivas e, o mais importante, proporcionar um ambiente de aprendizagem que seja funcional e favorável aos alunos.

Contar com o apoio da direção e dos professores para aprimorar os processos pedagógicos: Uma das funções do coordenador é a de introduzir no ambiente escolar novas práticas que beneficiem o seu trabalho, os processos de aprendizagem e os de avaliação dos alunos. Entretanto, por mais que a adoção de novas metodologias seja entendida como necessária para aprimorar os processos pedagógicos e para dinamizar as atividades burocráticas de uma escola, ainda assim, muitos coordenadores encontram dificuldades para receber o apoio da direção e dos docentes na implementação dessas novas práticas.

É preciso convencer o diretor a direcionar recursos para algo desconhecido até então e fazê-lo acreditar, efetivamente, na funcionalidade e nos benefícios que serão obtidos. Além disso, o coordenador precisa ser capaz de transmitir as vantagens também para quem irá utilizar as novas práticas – ou seja, os professores – a fim de conseguir a adesão e o engajamento daqueles que terão contato direto com as novidades. Atualmente, é comum notar esse dilema na adoção de tecnologias educacionais.

Os coordenadores gostam da ideia, mas precisam conseguir investimentos por parte da direção e, posteriormente, a adesão dos professores. Também não é raro que certos professores não se sintam confortáveis com o suporte oferecido pelo coordenador, principalmente no que diz respeito ao tipo de didática empregada e aos métodos de avaliação usados.

Por mais que o coordenador mantenha uma postura orientadora baseada no diálogo e construção conjunta de conhecimentos, existem docentes que têm dificuldades para aceitar sugestões. Relacionar-se com diferentes públicos: O trabalho do coordenador implica em uma relação próxima com diferentes públicos da comunidade escolar: o diretor, os professores, os alunos e os familiares.

É necessário atender às expectativas e às demandas de muitas pessoas diferentes, o que pode ser um grande desafio.

Um fator que torna essa questão ainda mais desafiadora é que cada um espera algo diferente da escola e muitas vezes a ansiedade e as cobranças acabam sendo direcionadas ao coordenador.

Sendo assim, é necessário manter um canal aberto e próximo a cada um desses públicos sem se afastar da identidade da escola, a fim de se manter um relacionamento saudável com todos.

Dicas para otimização de rotina (Pare e Pense), só por um minutinho: se fosse possível realizar um desejo instantâneo, qual seria seu pedido?

Por mais que sejam muitas as vontades e possibilidades, ao menos um pedido é consenso: ter mais tempo. Isso porque, na complexidade do mundo contemporâneo e com uma demanda cada vez maior de profissionais capacitados, acaba sendo preciso se reinventar constantemente.

Atreladas a isso, ainda existem as inúmeras obrigações do quotidiano, tanto na esfera pessoal como no âmbito profissional. E com tantos compromissos diários, 24 horas costumam ser insuficientes para realizar bem todas as atividades, não é mesmo?

Pensando nesse dilema, listamos algumas dicas para ajudar os coordenadores a otimizar o seu tempo.

1- Aposte na tecnologia: Não restam dúvidas que os recursos tecnológicos revolucionaram o sistema de ensino, certo? Na prática, porém, muitos profissionais ainda não têm a dimensão exata do quanto essas ferramentas são benéficas quando empregadas adequadamente. Ainda assim, é provável que até mesmo os mais desligados já tenham se deparado com plataformas e softwares especializados que foram responsáveis por uma melhoria significativa no âmbito acadêmico. Nesse contexto, alguns aplicativos têm muito a auxiliar no processo de administração do tempo, otimizando a rotina de trabalho do coordenador. Existem, por exemplo, opções com agendas que organizam as atividades e compromissos, além de sincronizar os dados com o telefone e o computador. Basta fazer uma pesquisa rápida para encontrar um recurso que seja mais compatível com suas necessidades.

2- Aplique o método Pomodoro: Batizado em homenagem ao cronômetro em formato de tomate usado por seu idealizador, o italiano Francesco Cirillo, o método Pomodoro mostra-se extremamente eficiente para os profissionais da coordenação. Com a técnica, os coordenadores pedagógicos conseguirão agilizar as tarefas ao evitar as distrações externas. Para entender melhor essa técnica, confira o passo a passo a seguir:

1) Crie uma lista de tarefas a serem realizadas;

2) Programe no seu relógio um cronômetro de 25 minutos;

3) Exerça uma tarefa por vez, sem interrupções, até o tempo se esgotar;

4) Descanse seu corpo e sua mente durante aproximadamente 5 minutos;

5) Faça o mesmo processo 4 vezes, com atividades diferentes;

6) Tire um momento de relaxamento de 30 minutos;

7) Na sequência, dê continuidade ao exercício repetindo os mesmos passos:

3- Tente programar sua agenda:

É essencial criar o hábito de fazer uma programação, desenvolvendo planeamentos específicos e otimizando demandas do quotidiano. Assim você tem muito mais chances de efetivamente conseguir cumprir os prazos das tarefas, evitando sobrecargas ou rotinas de trabalho dobrado. O mais indicado é que essa programação não seja apenas mentalizada, mas anotada para não se correr o risco de perder o prazo ou de se esquecer de alguma atividade importante. Certifique-se de registrar todas essas informações em um único local, já que a desorganização é uma grande inimiga de quem quer otimizar seus dias.

4- Compartilhe a execução de tarefas:

Acredite: seus colegas, amigos e familiares podem ser tão eficientes quanto você. Então dê a eles um voto de confiança ao começar a delegar tarefas que podem ser perfeitamente realizadas por outras pessoas. Seja na vida pessoal ou no âmbito profissional, solicitar ajuda na execução de atividades do dia a dia é uma ótima alternativa para aliviar o peso, amenizando consideravelmente a sobrecarga de trabalho.

Conclusão: A coordenação pedagógica é uma profissão repleta de desafios, que exige paciência, dedicação e, claro, tempo para lidar com as obrigações do cargo. É necessário, portanto, contar com ferramentas e estratégias eficientes para auxiliar na complicada tarefa de melhorar a rotina de trabalho. Além disso, manter uma relação saudável, aberta e próxima com todos os públicos diferentes da escola é fundamental para garantir o desenvolvimento adequado dos estudantes.